Sem reagentes, polícia do RN não faz perícia em 500 quilos de maconha

29/05/2014 18:57

Apreensão foi realizada pela Delegacia de Narcóticos nesta quinta-feira (29). Sinpol denuncia que falta de perícia pode comprometer flagrantes.

 
Carro da Denarc retornou do Itep sem realizar perícia de 500 quilos de maconha apreendidos (Foto: Divulgação/Sinpol/RN)Carro da Denarc retornou do Itep sem realizar perícia de maconha apreendidos (Foto: Divulgação/Sinpol/RN)

A falta de reagentes para constatação de drogas no Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep) pode comprometer uma operação realizada pela Delegacia Especializada de Narcóticos nesta quinta-feira (29). Os policiais da unidade foram até o Itep para que os peritos fizessem o exame, mas acabaram voltando sem realizar o procedimento. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública (Sinpol/RN), que alerta para a liberação das pessoas presas na operação caso a constatação da existência da droga não seja realizada.

A falta de reagentes no Itep foi denunciada pelo Sinpol após um perito farmacêutico do órgão  produzir vários memorandos desde janeiro e não obter nenhuma resposta por parte da diretoria do órgão. "Nós vínhamos informando a diretora Raquel Taveira que o estoque estava acabando, mas nada foi feito. O resultado é que as perícias tiveram que ser paralisadas há três dias", afirma Fabrício Fernandes.

De acordo com o perito, além do flagrante da Delegacia de Narcóticos, outros dois casos de apreensão de maconha foram ao Itep nesta quinta-feira, mas tiveram que retornar. Os detalhes da operação realizada pela Denarc serão conhecidos na tarde desta quinta em entrevista coletiva realizada pela Delegacia-Geral de Polícia Civil (Degepol).

Ofício ao Ministério da Justiça
 

A Diretoria do Sinpol informou que diante desse quadro vai comunicar a situação ao Ministério Público e ao Ministério da Justiça por meio de ofício. “Do jeito que está hoje, a Polícia Civil não terá como realizar um flagrante de tráfico de drogas, pois o Itep não tem como atestar que aquilo é mesmo droga. Além disso, estamos com a Copa chegando e o Rio Grande do Norte vai receber um grande número de turistas. Então, vamos pedir que as autoridades responsáveis e fiscalizadoras intervenham nesse caso”, destaca Renata Pimenta, vice-presidente do sindicato

Além da falta de reagentes, os laboratórios do Itep estão sem vários produtos básicos para o funcionamento, segundo o sindicato. As amostras de sangue por exemplo, estão sendo recolhidas em coletores de urina. 

Itep
 

Segundo a assessoria de comunicação do Itep, o processo licitatório para a compra de todos os produtos necessários ao laboratório foi aberto no dia 22 de janeiro e homologado esta semana. A próxima etapa vai ser fazer o empenho do valor destes produtos, o que vai ocorrer ainda esta semana. A partir daí os fornecedores têm 15 dias úteis para fazer a entrega. Neste período foi realizada uma compra emergencial e 3 dos 48 itens pedidos, mas que ainda não foram entregues pelo fornecedor.

 

Fonte da matéria: G1/RN


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!